quinta-feira, 16 de julho de 2009

O meu copo de plástico.


Pois todos todos os que eu tive foram de vidro como os usuais,e se espatifaram em pequenos pedaços e apesar da multiplicação de suas unidades,quando não em conjunto de nada me serve,de absolutamente nada.
Quando anoitece gosto de fazer uma retrospectiva comentada do meu dia.E tem vezes que durante o dia eu me divirto tecendo retrospectivas comentadas de como foram os meus sonhos...que na verdade se baseiam,sem que eu saiba,na retrospectiva do meu dia...que por sua vez é povoado por resquícios dos meus sonhos...
Tenho 14 anos e me chamo Ernani,acho que o último que tiveram coragem de batizar nesse mundo de Raféis e Pedros que vivemos.Moro com o meu tio no alto de uma imensa colina somente povoada por nós e em certas tardes só por mim.Meus pais morreram em um acidente de helicóptero e meu tio me trouxe pra morar aqui porque havia prometido isso ao meu pai.Não na beira da morte mas na beira de uma mesa de sinuca.
-Germano você não presta...
- Se eu não presto você presta muito menos.
-Isso é bem verdade meu irmão.
-Mas saiba que se eu morrer quero que você cuide do meu filho.
-Eu?Mas eu nem tenho onde morar,estou de favor na tua casa faz dois anos.
-Ora,arruma uma casa!
-Mas onde?
- Sei lá,no alto de uma colina,foda-se.Você sempre arruma problema hein,putaquiupariu!

E cá estou eu,no alto desta colina,nem que país é eu sei.Nem o ano.Nem o dia.
Só sei do meu tio e dos filmes dessa televisão sem cor que meu tio me obriga a assistir enquanto ele fabrica medonhas dentaduras.

3 comentários:

Cris Chevriet disse...

genial, adorei

Magriça disse...

ISSO É TEATRO, HEIN?!

Bella disse...

Isso é Rodrigo Arruda!