quinta-feira, 16 de julho de 2009

Boa noite Azerbaijão.Reflexões de um Ilusionista Carioca/momento conclusivo.


...arrumaria uma forma do Orlando(dono do circo) me permitir usar o truque das espadas.Truque que ele tanto teme por ter sido o causador da morte de seu pai em uma apresentação no Maranhão.O pai dele era um amador.Eu não,eu tenho a sensibilidade necessária,sei prever quando vai dar merda melhor que um balão meteorológico!
A noite tem um clima meio escroto na sua terra natal depois de dois anos viajando pelo continente,vendo todo tipo de merda.Repetindo os mesmos gestos maquinalmente: botando coelho,pedindo relógios,cerrando mulheres,explodindo pombos,escolhendo pessoas da platéia para tirar as cartas e morrer de vergonha do cheiro de uísque teatcher's que exala o meu dois de paus...arf!
Entre bêbados que falam e bebadas que gemem,me encontro na porta do Azerbaijão onde Julius me recebe com um confortável aperto de mão e a porra de sua pose costumeira.Que ele adquiriu em nosso segundo ano de Tablado e que só fez ficar mais ereta,nojenta e intelectualizada depois que passou a frequentar a faculdade e "apoiar as minhas decisões" como dizia ele em relação a trupe e ao circo.Me olha de pé a testa como quem pensa qualquer porra e não diz nada até entrarmos na boite.
Sou revistado,o segurança passa o relógio no meu saco; era vagabundo porque se fosse prata de verdade, mesmo com o meu escroto eu reconheceria...
O d.j escolhia só as mais animadas.De Rihana pra Beyoncé,de Beyoncé pra Chris Brown.Vídeos exóticos sobrepunham imagens na parede,porém como sempre o Azerbaijão estava às moscas.
-essa merda deve ser dinheiro lavado.
como só eu e Július vamos lá fui conduzido a esta reflexão...
Julius pede um drink,a porra da bebida tem uma aparência tão festiva que deixa a ambos muito constrangidos.Eu vou com Jack Daniel's (dia de pagamento, neném!!!),nos sentamos e tudo faz sentido.
-Barbosa morreu.
-Monique morreu.
-Mais uísque!
-Boa música!
-Uma merda!
-Quem é mesmo Monique?
-Sei lá...morreu.
- Mais uísque!
É Botafogo e nós nem notamos.
Uma mulher continua sentada em um sofá desde que chegamos com cara de tédio.Bem tarde,um pessoal um tanto "hype-indie-estaçãobotafogo-allstar-eu também sou napoleão" começa a entrar.Meus nervos contraem.Julius não para de falar: já foi cinema brasileiro,já foi música,já foi meus pais mortos e eu sendo um irmão pra ele...havia esquecido o trabalho que dava beber com Julius.Abraços,beijos na testa e o momento das lágrimas...esse filho da puta não me solta...até que resolve tirar a entediada para dançar.O d.j sorri maliciosamente e põe um som rápido,fazendo com que Julius se esforçe com a mocinha.Oras!O cara é famoso,ele pode errar.Talvez nem tanto.Pobre Julius.
Me sento na mesa,há um rapaz que mais parece uma mulher me encarando,eu não peido de olhar...odeio esses indies e seus allstares...odeio tudo.
Julius quase cai.(disso eu até gosto)

Abre-se lentamente a porta do Azerbaijão e Ela entra.Ainda tão altiva e risonha como há cinco anos atrás,e logo em seguida como um escravo o seu namorado de um metro e meio(meio é bondade) que tem tanta personalidade quanto uma peça de dama.
Um sujeito que dançava animadinho derrubou o meu copo no chão,ao fitá-lo com profundidade subjetiva ele perde o equilíbrio,me paga outra dose e também mais uma do drink festivo pro Julius que parecia não necessitar,dançando rumba com a mesma mulher.(o d.j já não se divertia mais tanto.) Julius mandava bem na rumba.O cara era famoso...Me recordo de belas tiradas do Barbosão e dou outra bicada em um novo canto que eu arrumei pra encostar.Ela me vê e sente medo,o capacho vem logo atrás e já me conheçe...ela ainda não vem falar comigo.
(parar de beber nem tão cedo)
- O Azerbaijão está mesmo famoso.(eu penso alto,fazendo com que o barman que me atendia não queira continuar seu serviço e apenas venda uma Smirnoff Ice a uma bela jovem.)
Julius beija a menina!O D.j larga o seu posto!
...uma furtiva lágrima parece escorregar de seu rosto.
ela vem com coragem e capacho -Senti muitas saudades!Você falou que ia escrever!E o meu beijo???
Meus olhos se abaixaram antes que eu ordenasse que eles fizessem isso.(jack daniels dava as ordens)lá por perto do chão eu avisto o tal lacaio nanico imundo dos infernos que ela namor...é noiva!
Sorrio miúdo.
- Vai pra porra!

O garoto recbeu o Tarzan.Bate no peito,esbraveja e sangra pela voz com o peito aberto na minha frente...Sem pensar,meu joelho ( e o de Jack Daniels)encontra o seu estômago...
o filha da puta vomita.
Na minha calça nova.(era dia de pagamento,porra!)
Soco nas têmporas e eu só penso "que nome interessante,têmporas".Ela segura o bode trincado que eu era naquele quando.Não sei de nada e vaput,cambaleando W.C a dentro!Matematicamente eu aplico sua testa enorme na beirola da privada.Me recordo de um professor francês que dizia que o segredo para fixar todos os truques e segredos da profissão era a "repetición".E essa palavra grudada na minha mente virou berro insano e trilha sonora daquele quadro de maldade bruta:
Levando a massa cinzenta a pó : -Repetición!Repetición!Repeticón!Porra!!!
A menina era namorada do D.j e Julius não poupava tato.Passava-lhe tudo em tudo,redescobrindo territórios e conferindo a geografia da moça.O D.j então inconsolável de soluçar tenta revidar botando música brega,"ninguém dança música brega",só o Julius,a namorada do D.j e os meus dedos por dentro da goela do condenado...achei tanta graça.Tenho um humor peculiar,deve ser o convívio com os palhaços da Tonelero.

Um comentário:

Bru Brig. disse...

Tijuca é linda!
Dona Maria é linda!