sábado, 19 de janeiro de 2013

mangar do Deuses



3 mudinhas gostosas sussurram em Libras rodeando uma Kombi de Cachot-Dog.Pelo que o ritmo dos dedos,sacudir dos braços me permite entender.Pelo que o ritmo do ônibus,balançar do coletivo me deixa coletar : nenhuma delas planeja insultar Deus em letra de música por falta de homem. São mudas bem comidas,são mudas dilatadas que gemem fanhoso : ANHãnha AnhNha! Elas dizem na hora do amor. Mas é nefasto tratar disso em poesia! A intimidade assim das pessoas.Isso lá é conteúdo?? Repugnante.
Ainda manga de mudo! Poesia não é fazer troça com tudo !! 
Pobre das deficientes! Trate de trata-las como gente,seu perturbado demente. E seguir com seu relato.
Senti algo na barriga,como vermes no esôfago e lesmas no palato…e as mudas riam de mim ! ""era de mim" cogitei com medo. Balbuciaram primeiro em tom de trocar segredos,depois tamborilavam todos os dedos pra se esgoelar de rir .
Aí,saindo da Tijuca : veio a coisa mais maluca:vi que o ônibus que eu estava tinha escrito em bem grande 416 MUDA
fatalmente fatalmente,
escorregou pelo vão dos meus dentes a seiva-saliva da saudade de todas as palavras e bem baixinho berrei mas  …

só foi na minha mente e mudeci.

2 comentários:

Cris disse...

amei geniozinho!!!

luizayabrudi disse...

esse me pegou tb!